O preço alto da infidelidade.

Matteus Almeida
7 min readMar 9, 2023
Photo by Octavio Fossatti on Unsplash

Quantas famílias neste país são destruídas pelo adultério? Infelizmente cada vez mais a infidelidade conjugal tem feito parte da realidade de muitas famílias brasileiras, são homens e mulheres que abandonam seus cônjuges e filhos em busca de prazeres momentâneos e aventuras, por desejarem a mesma vida de quando eram solteiros. Dito isso, vemos essas situações com muito pesar e lamento, lares são destruídos, filhos são marcados por experiências ruins que carregarão por muito tempo, afetando até mesmo a suas futuras experiências relacionais. A infidelidade conjugal destrói famílias inteiras, talvez você seja alguém que conviveu ou convive com esta experiência e que sofreu direta ou indiretamente as consequências dos atos pecaminosos de terceiros. Se este for o seu caso, o evangelho lhe concede paz e restauração.

O adultério é um dos principais temas do bloco narrativo que está inserido o capítulo cinco de provérbios. O capítulo inicia com a expressão “Meu Filho” que é bastante comum no livro, a expressão denota uma nova seção, um novo conjunto de argumentos. São os conselhos de um sábio Pai para o seu jovem filho. De forma específica o Pai alerta o filho acerca do adultério e da mulher imoral.

“Incline os ouvidos à minha inteligência” (Provérbios 5.1)

Isto é, você através da tua postura determina o teu crescimento espiritual, discernindo o certo do errado a fim de crescer na graça e no conhecimento. Precisamos ouvir intencionalmente os conselhos das Escrituras e colocá-los em prática em nosso cotidiano, somente assim tiraremos o verdadeiro proveito da Palavra de Deus.

“Porque os lábios da mulher imoral destilam mel, e as suas palavras são mais suaves do que o azeite; mas o seu fim é amargo como fel, e cortante como uma espada de dois gumes.” (Provérbios 5.3)

Os lábios da mulher adúltera são atraentes, mas somente por um período, depois se tornam veneno. É uma ilustração que nos mostra como os prazeres deste mundo são efêmeros e possuem data de validade, ou seja, são pequenos e transitórios prazeres que cobram um preço elevadíssimo. Semelhantemente é o que acontece com o uso de substâncias ilícitas, estas viciam, concedem prazer, satisfação e até fuga da realidade. Lembremos que o pecado gera consequências, será que estamos dispostos?

A sabedoria também o livrará da mulher adúltera, da estranha que lisonjeia com palavras. (Pv 2.16)

São promessas sedutoras e enganosas:

A sua fala era mais macia que a manteiga, porém no coração havia guerra; as suas palavras eram mais suaves que o azeite, mas eram, de fato, espadas afiadas. (Sl 55.21)

Embora a fala da adúltera possa ser doce e atraente, ela se torna amarga e dolorosa no final. Observe o contraste, doce e suave, amargo e cortante. O absinto é nocivo e amargo, e sem dúvida é feita alusão à sua qualidade venenosa.

Achei coisa mais amarga do que a morte: a mulher cujo coração é rede e armadilha e cujas mãos são correntes. Quem agrada a Deus fugirá dela, mas o pecador virá a ser seu prisioneiro. (Ec 7.26)

Ela não faz plana a vereda da vida; anda errantes nos seus caminhos e não o sabe. (Provérbios 5.6)

Em certas situações, muitas pessoam não percebem que suas práticas pecaminosas estão gerando algum dano nocivo, indivíduos vivem assim e não se atentam ao perigo e as consequências que estão plantando para si mesmos. A própria sociedade que estamos inseridos dá apoio à infidelidade conjugal, o relacionamento sexual sem compromisso.

Afaste o seu caminho desta mulher; não se aproxime da porta da casa dela. (Provérbios 5.8)

Isto é, evite a menor tentação. Devemos permanecer distante geograficamente e emocionalmente das situações que nos fazem pecar, devemos fugir como José fugiu da esposa de Potifar. Se alimentarmos as atrações ilícitas, consequentemente estas irão nos sufocar ao ponto de se tornarem insustentáveis. Não podemos impedir pensamentos que povoarem nossas mentes, mas conseguimos impedir que os pensamentos desçam e achem morada em nossos corações e se concretizem em atitudes.

No fim de sua vida você ficará gemendo, quando a sua carne e o seu corpo se consumirem. Então você dirá: “Como foi que eu pude odiar o ensino? E por que o meu coração desprezou a disciplina? Não escutei a voz dos que me ensinavam, nem dei ouvidos aos meus mestres!” (Provérbios 5.12–13)

Se nós rejeitarmos esse caminho correto, certamente iremos nos arrepender. Pois são consequências de curto, médio e longo prazo. A sabedoria nos mostra que não faz sentido trocar a comunhão com Deus, a benção de Deus, a certeza da salvação, a paz com Deus. Por um peso e uma complicação que será talvez para o resto da vida. Se você se envolveu em pecado sexual, o caminho é arrependimento, se humilhar diante de Deus pois o Senhor está pronto para perdoar. O pecador arruinado lamenta em vão sua negligência de advertência e seu triste destino em ser levado à desgraça pública. Como eu odiei a disciplina, um tolo ou escarnecedor odeia a disciplina, enquanto o sábio a ama.

APLICAÇÕES

1. ATENTOS COM OS OLHOS

— Vocês ouviram o que foi dito: “Não cometa adultério.” Eu, porém, lhes digo: todo o que olhar para uma mulher com intenção impura, já cometeu adultério com ela no seu coração. — Se o seu olho direito leva você a tropeçar, arranque-o e jogue-o fora. Pois é preferível você perder uma parte do seu corpo do que ter o corpo inteiro lançado no inferno. E, se a sua mão direita leva você a tropeçar, corte-a e jogue-a fora. Pois é preferível você perder uma parte do seu corpo do que o corpo inteiro ir para o inferno. (Mt 5.27–30)

Cobiçar vai além de querer — é não conseguir tirar os olhos e o pensamento do alvo do sentimento, é fazer de tudo para ter o que se quer. É esse sentimento que leva ao adultério e que destrói tantos lares e vidas. E ele, em si, já é pecado. O adultério começa muito antes da traição em si. Ele começa com a cobiça, com o olhar o outro e desejar. Muita gente diz: “Olhar não arranca pedaço.” Na verdade, o simples olhar de relance ou casualmente não arranca mesmo. Quando Davi cobiçou Bate-Seba, ele já tinha pecado. Mas a história dele poderia ter sido diferente se ele não tivesse cedido a esse desejo. Deus perdoou o pecado de Davi, mas ele teve de aguentar as consequências.

2. CONSTRUA UMA CERCA

Na Bíblia, a palavra “cerca” é usada como uma imagem de proteção. Por exemplo, em Jó 1, Satanás reclama que Deus colocou uma cerca em torno de Jó e tudo o que ele tem. Com essa proteção instalada, Satanás é incapaz de atacar Jó.

O sétimo mandamento, “não cometerás adultério”, é a maneira de Deus colocar uma cerca protetora em torno do casamento. Essa cobertura é uma forte barreira que visa manter a união segura e manter a tentação afastada.

Não preciso falar sobre o dano que o adultério pode causar; fisicamente, emocionalmente e relacionalmente, o adultério pode causar estragos em sua vida. Mas o maior dano que isso causa é no seu relacionamento com Deus. Afinal, o clamor de Davi no Salmo 51 foi: “contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal aos teus olhos” (Salmos 51.4).

1. Proteja sua mente. Você precisa colocar uma barreira em torno da sua mente. É aí que a batalha é travada e onde ela é ganha ou perdida. Jó deu um bom conselho quando disse: “Fiz um pacto com meus olhos de não olhar com desejo para uma moça” (Jo 31.1)

2. Bloqueie a tentação. Construa uma barreira contra a tentação. Isso é mais do que apenas evitar revistas, filmes e canais de TV que o fazem tropeçar, também significa cortar quaisquer relações emocionais que ameacem seu casamento. Mantenha distâncias adequadas nos relacionamentos. Fuja das tentações.

3. Reconheça suas fraquezas. Os cristãos muitas vezes caem na imoralidade devido ao excesso de confiança. Eles se deixam abertos a um gancho emocional — e depois a um gancho físico. “Aquele que está em pé, veja que não caia” (1 Co 10.12).

4. Proteja seu casamento. Construa uma barreira de afeto em torno de seu casamento. Os casamentos não desmoronam da noite para o dia; eles sofrem um vazamento lento. Encontre maneiras de ajudar seu parceiro a crescer e se sentir satisfeito. Tente escrever uma carta contando como se sentiu no dia em que se casou. Talvez renove seus votos em uma cerimônia pública. Comprometa-se a atender às necessidades um do outro — emocionais, espirituais e sexuais.

Deus colocou uma barreira de proteção em torno do casamento para que nossas vidas fossem plenas, abençoadas e satisfeitas. Devemos cultivar e cuidar dessa proteção por meio de nossos pensamentos e ações.

Considere quão fatais são as consequências; quão amargo é o fruto! Leve-o de qualquer maneira, fere. A tendência direta desse pecado é a destruição do corpo e da alma. Devemos evitar cuidadosamente tudo o que possa ser um passo em direção a ela. Aqueles que querem ser protegidos do perigo, devem manter-se fora do caminho do perigo. Se nos lançamos a tentação, zombamos de Deus quando oramos, não nos deixe cair em tentação. Embora você esteja alegre agora, mais tarde isso trará tristeza.

Lembre-se sempre de que, embora pecados secretos possam escaper aos olhos de nossos semelhantes, os caminhos de um homem estão diante dos olhos do Senhor, que não apenas vê, mas pondera todos os seus passos. Aqueles que são todos a ponto de escolher o caminho do pecado, são justamente deixados por Deus a si mesmos, para prosseguir no caminho da destruição.

--

--

Matteus Almeida

Missionário no Sertão Cearense. Uso o Medium para salvar os meus sermões e reflexões.